Alerta! Alerta!

O aquecimento global está a provocar um rápido degelo no Ártico e, por consequência, os ursos polares estão a perder o seu habitat e, muitas vezes, o acesso ao alimento.
Dadas as circunstâncias, aqueles animais precisam de migrar à procura de algo para comer, passando por períodos longos de jejum. No caso das fêmeas, a preocupação é maior, uma vez que elas têm de permanecer nos abrigos no inverno, onde têm os filhotes, só podendo dali sair na primavera.
O seu tempo de vida está, assim, a mudar. Se até então, com o peso normal, um urso sobreviveria 200 dias em jejum, agora, com o peso normalmente 20% abaixo do ideal, a possibilidade de sobrevivência é de apenas 125 dias.
Se a emissão de gases com efeito de estufa não abrandar, é provável que as populações de ursos polares no Ártico desapareçam em menos de um século.