A primeira árvore de Natal surgiu na Alemanha, no século XVI, e era decorada pelas famílias com luzes, flores de papel colorido, doces e frutas. Mais tarde, esse costume espalhou-se pela França, Inglaterra, Estados Unidos e, no século XX, já era tradição na maior parte do mundo.
Há quem defenda, contudo, uma origem mais específica: no século XVI, mas quando Martinho Lutero enfeitou uma árvore com velas, no dia de Natal, em sua casa. A sua ideia foi simbolizar o nascimento de Jesus, luz do mundo.
Ainda segundo a tradição alemã, devemos incluir doze enfeites no nosso pinheirinho, de modo a garantir a felicidade: uma casa; um coelho; uma chávena; um pássaro; uma rosa; um cesto de frutas; um peixe; uma pinha; um pai Natal; um cesto de flores; um coração; luz.
Atualmente, encontramos a árvore de Natal em quase todas as casas, sejam famílias cristãs ou não, como elemento decorativo da época natalícia.