CEIC NOTÍCIAS

Jornal do Colégio Externato Imaculada Conceição

Edição n.º 5

abril 2022

Joana Pinto (investigadora)

Com 25 anos, Joana Pinto já faz trabalho de ‘cientista’ na área das Ciências Biomédicas, especificamente sobre oncologia molecular e patologia viral.
Que perguntas lhe fizemos? E que respostas conseguimos?

P: Por que razão decidiu ser investigadora/cientista?
R: Sempre gostei de experiências, descobertas e, acima de tudo, bons desafios. Ser investigadora é expandir os limites do conhecimento humano. Isso significa que, no laboratório, posso encontrar soluções para o tratamento e melhoria da qualidade de vida da população em geral.

P: Gosta de ‘fazer ciência’? Como se sente nessa atividade?
R: Sim. Fazer ciência é contribuir para avanços na medicina e na tecnologia, é evoluir. Cada estudo adiciona uma pequena peça ao grande puzzle. No final, é muito gratificante saber que ajudamos a resolver esse puzzle. Infelizmente, em Portugal, ser investigador (na área da saúde) é uma luta constante. A profissão é desvalorizada e as oportunidades são escassas.

P: Ciências era a disciplina de que mais gostava na escola? Porquê?
R:Ciências era a disciplina de que mais gostava. Gostava muito das experiências em laboratório, de observar na prática tudo o que os professores ensinavam nas aulas.

Voltar