Fiquem a saber que há, no planeta Terra, o Bongo-ocidental, habitante das florestas tropicais de África, com pelo vermelho escuro e o Bongo-oriental, que vive nas florestas subtropicais, tendo pelo escarlate. Tanto as fêmeas como os machos apresentam cornos espiralados. É um animal herbívoro e pode ter entre 75 e 100 cm de comprimento, além de atingir 1,3 m de altura. O período de gestação é, tal como o ser humano, de nove meses.
O Bongo é, por norma, um animal tímido e, por isso, esconde-se por entre as zonas de floresta mais densa durante o dia, procurando o alimento já ao anoitecer ou mesmo pela noite escura. Vive em pequenos grupos familiares que podem ser formados apenas por fêmeas, crias e um macho dominante.
Esta espécie quase se extinguiu totalmente devido à perda do seu habitat e à caça.

 

O ornitorrinco, por sua vez, é um animal muito curioso, pois é o único mamífero ovíparo (põe ovos) que se conhece. É um animal semiaquático natural da Austrália e da Tasmânia. Alimenta-se de crustáceos de água doce, insetos e vermes. Quando está na água, o ornitorrinco utiliza os ouvidos para se guiar, porque os seus olhos e narinas ficam fechados durante o mergulho. Além disso, possui outras adaptações para a vida aquática, entre elas, as membranas interdigitais mais proeminentes nas patas dianteiras.
O ornitorrinco é o animal que conseguiu confundir os seres humanos: quando o primeiro foi enviado para Inglaterra (da Austrália), os cientistas pensaram tratar-se de partes de vários animais unidas para se tornar num animal falso.