Há várias explicações para a origem do Dia das Mentiras, contudo a mais conhecida provém do século XVI, em França, após a mudança do calendário. Até então utilizava-se, na Europa, o calendário juliano que iniciava o ano de acordo com o equinócio da Primavera, ou seja, entre os dias 20 e 21 de março. Essa data era arrastada até ao dia 1 de abril, oficializando-se aí o começo do ano.
Em 1564, depois da substituição para o calendário gregoriano, o rei francês determinou que o ano novo seria comemorado a 1 de janeiro. Mas, alguns franceses que não concordaram com a mudança, decidiram continuar a seguir o calendário antigo e comemorar a passagem de ano no mesmo dia 1 de abril.
As pessoas mais divertidas e que não percebiam a teimosia passaram a oferecer presentes estranhos no dia 1 de abril e a anunciar festas comemorativas que, afinal, eram mentira. A partir daí, tudo o que é dito naquele primeiro dia do mês quatro deixa toda a gente desconfiada…