A tradição do coelho que entrega ovos de chocolate, na Páscoa, foi levada da Alemanha para os Estados Unidos, por volta do século XVIII.
O coelho da Páscoa é uma criatura mística, que não existe realmente, mas que faz da parte das estórias que se contam.
No Antigo Egito, o coelho era símbolo do nascimento e da nova vida, o que, de alguma forma, se pode ligar à ressurreição de Cristo. Já alguns povos da Antiguidade Clássica olhavam para aquele animal como símbolo da Lua, que determina a data da Páscoa.
Sabe-se, ainda, de uma outra lenda que diz que uma senhora muito pobre, para alegrar os seus filhos pela altura da Páscoa, pintou uns ovos de galinha e escondeu-os para os mais pequenos os descobrirem. Quando as crianças encontraram os ovos, um coelho passou a correr e, por isso, começou a circular a ideia de que tinha sido o coelho, e não a mãe, a deixar ali os ovos como presente.
Será que algum dia se saberá toda a verdade sobre este assunto? Até lá, vamos à caça dos ovos… de chocolate!