CEIC NOTÍCIAS

Jornal do Colégio Externato Imaculada Conceição

 

coming soon

Voltar

Editorial

A edição de dezembro do CEIC Notícias celebra o Natal.
Não podia ser de outra forma. A mensagem é simples: união, saúde e a partilha de sentimentos e atos bons. Acalentamos também a esperança de que 2022 seja melhor para todos. Temos fé que assim seja.
Da nossa parte, podem esperar o mesmo entusiasmo, a mesma dedicação e o mesmo gosto na elaboração de cada edição do CEIC Notícias.
Boas Festas. Até para o ano!

Find out!

Presépio(s)

Em Portugal, “o presépio é habitualmente montado no início do Advento sem a figura do Menino Jesus que só é colocada na noite de Natal, depois da Missa do Galo”.
Um pouco por todo o país há vários presépios com características e pormenores que fazem deles únicos e ainda mais especiais.
Deixamos uma breve lista para que vão à descoberta da sua beleza:
– Presépio Gigante de Vila Real de Santo António;
– Presépio da Marinha Grande;
– Presépio do Sabugal;
– Presépio de Alenquer;
– Presépio ao Vivo de Priscos.

Estrela (de Natal)

A estrela, símbolo luminoso que conduziu os Reis Magos até ao Menino Jesus, foi durante muito tempo representada por uma vela acesa na parte de cima das árvores de Natal que eram instaladas sob os pórticos das igrejas. O risco de incêndios acelerou a substituição das velas por uma estrela dourada.

Sabiam que…

– o maior boneco de neve do mundo media 37 metros de altura.

– a maior árvore de Natal do mundo foi inaugurada, este ano, em Itália. Tem 750 metros de altura e 700 pontos de luz.

– o maior bolo-rei do mundo pesava cerca de 2000 quilos.

…a um duende (ah pois é, ah pois é!)

São aqueles seres simpáticos de meias às riscas e chapéu com um sininho na ponta. Na época do Natal aparecem por todo o lado e ajudam na árdua tarefa de tratar dos presentes. O que mais podemos saber sobre eles?

P: Como conseguem tratar de tantos presentes em tão pouco tempo?
R: Não devia dizer nada, é quase um segredo… Mas com a nossa magia tudo é possível. Essa magia faz-se de trabalho, motivação e vontade.

P: Por que razão quiseste trabalhar com o Pai Natal?
R: Porque ele é um velhinho muito simpático. Além disso, assim posso comer muitas bolachas que os meninos deixam para ele. Como não consegue comer tantos doces, o Pai Natal trá-los para os seus ajudantes!

P: Parece-te que dar presentes no Natal é um ato bom?
R: Sim, se estivermos realmente a ser generosos e solidários para com os outros. O Natal é uma época de partilha e, por isso, faz sentido partilhar um bocadinho de felicidade com os nossos amigos e familiares.

… à D. Marta (cozinheira no Colégio)

A Dona Marta, todos os dias da semana, prepara, com cuidado e dedicação, o nosso almoço. Peixe, carne, arroz, batatas, bolo ou leite-creme… há sempre comidinha com um toque caseiro para nos encher a barriga. Mas será que a D. Marta também cozinha no Natal? Vamos descobrir…

P: Que prato salgado ou doce prefere comer no Natal? Porquê?
R: Gosto muito de arroz doce. Não sei, é especial e no Natal sabe-me ainda melhor. Apesar de haver muita escolha, eu escolho sempre esta sobremesa docinha.

P: Gosta de cozinhar no Natal? Que doce prefere confecionar?
R: Eu gosto de cozinhar em qualquer altura do ano e o Natal não é exceção. Gosto de cozinhar rabanadas, pois é um doce que exige várias ações culinárias para ficar ‘no ponto’.

P: Gosta da sua profissão? Por que motivos?
R: Gosto muito de cozinhar e faço-o sempre com brio. Estar na cozinha a misturar ingredientes é muito interessante e, depois, as pessoas podem comer os meus pratos. Prefiro cozinhar sopa, já canja não gosto muito de fazer.

…à Mãe Natal (para não ser sempre o Pai Natal!)

Decidimos entrevistar aquela que é a companheira do Pai Natal. Quisemos saber como vive esta época do ano e quais são as principais características do senhor de barba branca e barriga saliente. Leiam as suas simpáticas respostas…

P: Como vive esta época do ano?
R: Com muita alegria e entusiasmo. Apesar de eu e o Pai Natal termos muito trabalho, é muito bom partilhar com todos um pouco de bem-estar e generosidade.

P: Quando eras criança, que prenda mais gostavas de receber?
R: Eu adorava receber bolachinhas feitas pela minha avó. E meias, pois eram muito quentinhas. Acho que o Natal fica mais bonito com estas prendas de família, que têm valor emocional e utilidade.

P: Como é o Pai Natal?
R: Ele é bastante simpático e empenhado na sua tarefa. Gosta de cumprir a sua função e deixar todas as crianças ainda mais felizes na noite de Natal. Mas, depois disso, torna-se um pouco preguiçoso de tão cansado que está!

E este ano, qual é a palavra vencedora?

Mais uma vez, a Porto Editora lançou um desafio aos portugueses: escolher a palavra do ano de 2021.
De acordo com a própria empresa portuguesa, o principal objetivo da iniciativa é “sublinhar a riqueza lexical e o dinamismo criativo da língua portuguesa, património vivo e precioso de todos os que nela se expressam”.
Este ano, a escolha de cada um pode ser entre as palavras apagão, bazuca, criptomoeda, mobilidade, moratória, orçamento, podcast, resiliência, teletrabalho, vacina.
Até ao dia 31 de dezembro, através do site www.palavradoano.pt, selecione a sua palavra do ano. Será que vai ser a vencedora?
Em 2022, daremos conta do resultado, aqui, no CEIC Notícias.

O fiel amigo à mesa

De acordo como o Conselho Norueguês dos Produtos do Mar (NSC) para Portugal, no nosso país consome-se cerca de 70 mil toneladas de bacalhau por ano.
Na noite da Consoada serão consumidas, em média, 5 mil toneladas de bacalhau da Noruega. Aliás, 70% desse peixe comido em Portugal provém daquele país do norte da Europa.
Apesar da pandemia, os portugueses continuaram a preferir o fiel amigo para as mesas de Natal. Ao longo do ano, por sua vez, também comem bacalhau, mas nestes últimos dois anos alteraram as suas rotinas: mais vezes em casa e menos vezes no restaurante.
Em relação ao preço, não se prevê um aumento significativo neste ano de 2021. Assim sendo, a tradição vai continuar presente na mesa da Consoada.
Bom apetite!