CEIC NOTÍCIAS

Jornal do Colégio Externato Imaculada Conceição

Edição n.º 5

abril 2022

Voltar

Açúcar controlado

A diabetes é uma doença crónica que interfere na capacidade do corpo humano transformar alimentos em energia. De outra forma, podemos dizer que nesta situação o corpo não produz a insulina necessária ou não a utiliza tal como seria suposto, e por isso verifica-se uma acumulação de açúcar no sangue. Em Portugal, cerca de 1 milhão de pessoas tem diabetes.
Atualmente, sistemas tecnológicos avançados, com sensores e leitores que se colocam no braço e interagem por via de bluetooth, permitem que alguém com diabetes tenha acesso permanente aos seus valores de glicose. Além disso, este método é uma ajuda para a confirmação de tendências de variação dos valores de açúcar no sangue, facilitando a adaptação da alimentação ou da medicação tomada.
Depois, há hoje uma plataforma de comunicação à distância entre médico e paciente que garante que todas as informações mais importantes chegam atempadamente ao profissional de saúde. Neste caso, o computador ou o telemóvel serão os equipamentos ideais para a prática da telemedicina.

Alerta! Alerta!

A internet é um lugar cheio de diversão, conhecimento, informações, redes sociais, entre outros, mas também tem um lado sombrio, pois há pessoas mal intencionadas.
O cyberbullying é uma forma de assédio e agressão que ocorre entre os pares, com a intenção de difundir mensagens ou imagens cruéis, para que sejam vistas por mais pessoas e, depois, usadas contra as vítimas. De acordo com dados da ONU, 55% dos jovens latino-americanos já foram vítimas deste crime. Qual poderá ser a solução? Não responder a mensagens de desconhecidos. Contar aos pais. Bloquear as pessoas.
O phishing consiste no uso de emails pessoais para induzir as pessoas a clicarem em links ou anexos maliciosos. Estes podem aparecer a qualquer momento, mas os criminosos virtuais que os criam observam, em particular, os sites mais populares entre as crianças. Qual poderá ser a solução? Utilizar um antivírus. Não clicar em links afixados. Bloquear os endereços de correio eletrónico desconhecidos.

Dispositivos eletrónicos populares

Segundo a nossa ‘pesquisa caseira’, e depois de olharmos à nossa volta em casa e na escola, decidimos apontar aqueles dispositivos que nos parecem os mais usados no dia a dia de muitos dos seres humanos do século XXI.
Começamos por aqueles que são bem pessoais e que nos colocam rapidamente em contacto com amigos e familiares, quer estejam no quarto ou na Nova Zelândia: o telemóvel e o computador! Ah! E convém sempre ter um carregador à mão, para não perdermos qualquer comunicação. Claro que, numa situação repentina, o tablet também nos pode ajudar a aceder a uma vídeochamada ou a jogar Fortnite com os colegas.
Já em casa, para nos ocuparmos depois dos trabalhos para casa feitos, a televisão pode ‘dar muito jeito’ ou até a aparelhagem, de onde podem sair sons ótimos para dançar e, talvez, fazer um pouco de exercício com ritmo. Depois, há aqueles dispositivos que são muito importantes para que nos alimentemos em quantidade e qualidade suficiente: o frigorífico, o microondas e a torradeira.
A nossa vida sem estes objetos ‘mágicos’ seria como uma praia sem o mar…

Futuro dos carros ou Carros do futuro

A Apple está a planear lançar, em 2024, um carro elétrico com piloto automático.
Depois alguns avanços e recuos no processo, fontes próximas acreditam que este veículo, para uso individual, começará a circular daqui a três anos.
A ideia será concretizada por um fabricante especializado na produção automóvel e a multinacional norte-americana centrará as suas atenções no desenho do veículo e nas suas capacidades autónomas.
Em relação à parte mais técnica, o objetivo da Apple é apostar numa bateria “monocélula”, pois assim pode poupar espaço dentro das baterias de modo, introduzindo até mais células e eliminando módulos e bolsas.
Na verdade, esta ideia não é totalmente nova. Há já uns anos, a empresa fundada, entre outros, por Steve Jobs, começou a desenhar esta possibilidade, mas nem tudo correu bem e foi necessário voltar ao ponto de partida. Agora, aguardemos…

Digam: Sunway Taihulight!

Foi na China que surgiu, em 2016, o Sunway TaihuLight, o super-computador mais poderoso do mundo. Tem mais de 10 milhões de núcleos de processamento, o que permite realizar aproximadamente 93 mil biliões de cálculos por segundo. O computador é tão complexo que consome a mesma energia que seria necessária numa cidade com mais de 75 mil habitantes. Já o seu tamanho é menor em relação a outros computadores também muito poderosos.
Normalmente, estas máquinas usam-se para cálculos difíceis, como os necessários em simulações climáticas ou para perceber variações meteorológicas, pois assim podem prevenir-se desastres naturais ou antecipar-se casos de secas ou chuvas prolongadas. Além disso, ajudam as pesquisas científicas sobre temas bem complicados e contribuem para o desenvolvimento de outras tecnologias essenciais.

Tecnologia rima com pandemia!

Em relação à escola, neste ano letivo e no que passou, a tecnologia ajudou-nos bastante. Por exemplo, as aulas online, sem o computador, o tablet, a internet ou o telemóvel, não poderiam realizar-se, pois seria muito difícil aceder a aplicações/plataformas de aprendizagem que utilizamos (Google Classroom, Edmodo, etc.).
Também nos hospitais, a tecnologia foi necessária para funcionarem equipamentos como os ventiladores e outras máquinas utilizadas para salvar as nossas vidas. Noutras profissões, também foi importante o recurso às tecnologias de informação e comunicação, por exemplo, o email ou a vídeochamada; sem elas, muitos adultos poderiam ter ficado desempregados. Mas, desta forma, continuam a trabalhar e a ganhar o seu salário.
Depois, em apenas alguns segundos, podemos descobrir informações novas sobre a Covid-19, como o número de casos por dia no nosso país e nos outros países. Para isso, basta recorrermos a um jornal, à televisão ou ao rádio, pois cada um destes artefactos (uma palavra que pode ser sinónimo de tecnologia) nos ajuda a saber mais, à sua maneira.

Páscoa Feliz

A Páscoa, neste ano de 2021, comemorou-se no dia 4 de abril.
Esta celebração religiosa, a mais antiga para os cristãos, dá conta da ressurreição de Jesus Cristo, três dias após a crucificação.
O domingo de Páscoa é o culminar de um período de preparação, a Quaresma, na qual os cristãos através da oração, do jejum e da esmola, procuram a conversão pessoal e comunitária. As tradições desse dia são, por exemplo, a Vigília Pascal, celebrada durante a noite que antecede o Domingo de Páscoa, o cumprimento pascal realizado pelo ‘compasso’ ou a troca de lembranças entre padrinhos e afilhados.
Este ano, devido à pandemia em que ainda vivemos, as celebrações da Páscoa não aconteceram de forma tão próxima entre as pessoas, para que se evitassem contágios e o aumento do número de doentes.
Mas, todos nós lembramos este dia com esperança, fé e amor ao próximo.

De volta ao ensino presencial

Abril foi o mês do regresso ao Colégio para nós, alunos do 2.º Ciclo. Continuamos de máscara, sempre, e respeitamos o distanciamento físico na sala de aula e no refeitório, mas já podemos conviver de modo mais direto com nossos amigos, de quem tínhamos muitas saudades.
Agora, temos de nos voltar a habituar ao ensino presencial, porque já estávamos há algum tempo a seguir as aulas à distância. Mas, para além de ser mais fácil acompanhar as explicações do professor e resolver os exercícios na sala de aula, também é bom para a nossa saúde, pois muito tempo à frente do computador provoca dores de cabeça e torna-se cansativo para os olhos.
Estamos ‘a fazer figas’ para que consigamos assim continuar até ao final do ano letivo. De verdade!