CEIC NOTÍCIAS

Jornal do Colégio Externato Imaculada Conceição

Edição n.º 5

abril 2022

Voltar

O que é, o que é?

Uma tecnologia muito útil nas aulas de Matemática ou de Educação Visual. Mas nada de quadro interativo, GeoGebra ou máquina calculadora, … Conseguem identificar o objeto ou este é um assunto ‘bicudo’?

Caixinha Mágica

A primeira televisão analógica foi inventada, no ano de 1926, por Jonh Logie Baird. O interesse em criar um aparelho televisor já existia desde o século XIX, mas o processo foi extremamente demorado. Uns anos antes concretizou-se o primeiro envio de uma imagem através de um sistema algo eletrónico, mas ainda estava longe de ser o equipamento que conhecemos hoje em dia como uma televisão.
Depois, já na década seguinte, a televisão havia de chegar a casa das pessoas, mas ainda a preto e branco com pouca nitidez. Na altura, aquela tecnologia era muito avançada e inovadora. Os Jogos Olímpicos de Berlim, em 1936, foram uma das primeiras transmissões televisivas mais reconhecida e, após a 2.ª Guerra Mundial, o uso deste equipamento generalizou-se em vários países europeus, já depois do seu sucesso em terras norte-americanas. Em 1954, apareceram, nos Estados Unidos da América, as TV’s com transmissões a cores. Essa difusão ‘colorida’ é possível pela emissão combinada de três imagens monocromáticas.
Em Portugal, as emissões televisivas experimentais, pelo canal do estado, a RTP, começaram em 1956. As transmissões a cores surgiram em 1975, mas de forma irregular. Tornaram-se habituais a partir de 1980, com o Festival RTP da Canção.
Maiores ou mais finas, com quatro canais ou com muitas mais opções, associadas a uma ou a outra operadora, as ‘caixinhas mágicas’ são, nos dia que correm, a companhia de muitos portugueses ao longo do dia.

Basta um clique!

Desde que clicamos no botão para ligar o computador, este começa a realizar um conjunto de operações até chegar ao Sistema Operativo. Mas, quando apareceu o primeiro computador?
Não sendo totalmente defendido por todas as pessoas, alguns investigadores consideram que o inglês Charles Babbage, um matemático criador de uma máquina analítica comparável aos computadores atuais, foi, por isso, o ‘pai da informática’.
No início da década de 50 do século XX surgiram os computadores de primeira geração, programados em linguagem de máquina e capazes de cálculos muito rápidos. Já na década seguinte do mesmo século apareceram os de segunda geração, agora ainda mais velozes na realização dos cálculos e com uma programação que usava outra linguagem específica. Na passagem da década de 60 para a década de 70 chegaram os computadores de terceira geração, pois tinham as suas várias componentes num único chip, tornando-se bem mais rápidos do que os anteriores. Numa fase seguinte, a quarta geração destes equipamentos caracterizou-se, sobretudo, pelo aperfeiçoamento dos circuitos integrados e de componentes próprias.
A partir de 1990, a atenção centrou-se em softwares de maior qualidade de processamento das informações e já no século XXI, os computadores passaram a ser mais úteis e práticos para a realização de tarefas diárias essenciais, além de ganharem um desenho mais estético e cuidado.
Quer sejam de mesa ou portáteis, atualmente, os computadores são nossos grande aliados em diferentes dimensões da vida humana.

Estou sim?! É p’ra mim!

Aqueles que se consideram os protótipos dos atuais telemóveis que circulam por todo o mundo apareceram na empresa americana Bell Labs, no ano de 1947.
O primeiro telemóvel surgiu a 3 de abril de 1973 e o seu criador foi Martin Cooper.
Desde essa altura, contabilizam-se três gerações de telemóvel 1G, 2G e 3G.
O telemóvel 1G permitia fazer chamadas. Diz-se que era um telemóvel analógico.
Na década de 80 do século XX surgiu o telemóvel de 2.ª geração (2G). Este melhorou nas suas funcionalidades ligadas às comunicações móveis e, com ele, tornou-se possível a realização e a receção de chamadas ou o envio e o recebimento de mensagens de texto entre países diferentes. Uns anos depois, os telemóveis começaram a disponibilizar o acesso à internet e a possibilidade de se concretizarem downloads.
Na Europa, em 2003, surgiram os telemóveis 3G (de 3.ª Geração), garantindo aos utilizadores a possibilidade de tirarem fotografias, fazerem filmes, continuarem a aceder à internet e, daí, descarregarem aplicações várias para o seu dispositivo. Foi no ano de 2007 que apareceu o primeiro iPhone, da Apple, um smartphone sem teclado físico, e, no ano seguinte, a Google divulgou o Android, um sistema operacional próprio para smartphones.

Game Over

Só a partir das décadas de 70 e 80 do século XX é que os jogos eletrónicos para consolas ou computadores se tornaram populares junto do público em geral. Desde esse momento, transformaram-se num divertimento muito apreciado, sobretudo pelos mais novos.
Estes jogos, às vezes praticam-se individualmente, outras vezes implicam a interação com outros jogadores que podem estar ao nosso lado ou à distância. Pode utilizar-se o computador, o que, em algumas situações, permite fazer alterações ao jogo; as consolas, dispositivos que podem ligar-se a um monitor ou televisão ou as consolas portáteis, que são transportáveis para qualquer lugar. São exemplos de consolas, as Playstation, as Xbox ou as Dreamcast. Os telemóveis também disponibilizam ou permitem a instalação de jogos: os mais antigos, do tempo dos nossos pais e avós, traziam a famosa ‘serpente’, os androids de hoje em dia suportam jogos como o Angry Birds.
Os jogos eletrónicos, de acordo com os seus objetivos e características, podem dividir-se em diferentes géneros. Há os de ação, os de estratégia, os de simulação, os quebra-cabeças, entre muitos outros.