CEIC NOTÍCIAS

Jornal do Colégio Externato Imaculada Conceição

Edição n.º 5

abril 2022

Voltar

Rita Moreira (Arquiteta e Designer do (novo) site do Colégio)

A Rita Moreira é arquiteta de profissão e foi convidada para dar forma ao novo site do Colégio. Após recolher as principais informações, colocou ‘mãos à obra’ e deu-lhe uma nova cara. Uma cara à CEIC! Decidimos fazer-lhe algumas perguntas para perceber como correu este processo criativo…

P: Gostou de criar o novo site do Colégio? Por que razões?
R: Gostei muito. Já tinha feito outros sites, mas nunca para um Colégio e portanto foi muito interessante perceber as informações relevantes que era necessário incluir, como organizar toda a informação, quais as melhores imagens para usar, etc. Foi um processo longo e um bocadinho complicado em alguns momentos… Mas ver o resultado final e receber todo o feedback positivo foi muito bom!

P: Pode, brevemente, explicar como foi desenvolvendo o site?
R: Como o site já existia e o que se pretendeu foi renová-lo, o primeiro passo foi perceber o que era para manter e o que precisava de ser alterado. Entretanto, fui recebendo todos os textos que o diretor e os professores elaboraram e também as fotografias.
Depois, foi começar a montar, página a página, juntando todas as informações, procurando organizá-las de uma forma visualmente agradável. Algumas foram bastante fáceis, como a página dos contactos, onde as informações eram muito simples e diretas. Outras, como as páginas dos diferentes níveis de ensino, precisaram de mais tempo, pois tinha muitas partes distintas que podiam ser organizadas de várias formas… mas a página não podia ficar demasiado longa e aborrecida!
No fundo, o desenvolvimento deste site foi uma espécie de jogo de Tetris, em que tive que ir encaixando as formas umas nas outras para completar as linhas de forma harmoniosa e equilibrada.

P: Onde encontra criatividade para os trabalhos que faz?
R: Acho que a criatividade tem duas partes: uma que provavelmente já nasce connosco – o chamado “ter olho para a coisa”. E depois a inspiração, que se vai buscar a qualquer lado – uma fotografia, uma paisagem, uma frase, uma cor, uma música… Tudo à nossa volta pode ser fonte de inspiração e, portanto, estimular a nossa criatividade. O mais importante é não copiar nada. Hoje em dia é, provavelmente, muito difícil “inventar” algo novo… Mas temos que pegar no que já existe e reutilizar, adaptando ao nosso gosto e à nossa personalidade, dar o nosso “toque” pessoal… E assim transformar as coisas e dar-lhes uma nova vida.

Rui Guerra (Engenheiro Mecânico)

A Juliana Guerra, aluna do 5.ºB, quando percebeu o tema desta edição do CEIC Notícias, não teve dúvidas… Fazia sentido entrevistar o seu pai, pois é engenheiro mecânico e, por isso, tecnologias muito específicas são necessárias ao seu dia a dia.
Ainda assim, as perguntas relacionaram-se mais com a informática e as suas vantagens para o trabalho mais habitual.

P: Que programas informáticos utiliza no seu trabalho? Com que objetivos?
R: Utilizo vários programas, entre eles o Excel e o Word. O Excel para preencher com dados e criar tabelas de análise; o Word para redigir cartas e documentos informativos.

P: Como engenheiro mecânico, gosta de informática? Porquê?
R: A informática é muito importante, pois ajuda-nos a desenvolver as nossas tarefas profissionais de forma mais rápida e mais adequada ao necessário.

Pedro Neves (Engenheiro Informático)

O pai da Mariana Neves (5.ºB) e da Beatriz Neves (4.ºA) vive, profissionalmente, no mundo da informática e, por isso, tem de lidar com tecnologias muito específicas. Tendo em conta a temática desta edição, decidimos colocar-lhe algumas questões…

P: Sempre quis ser engenheiro informático? Porquê?
R: Sim, desde que tinha 4 anos, quando o meu pai comprou o nosso primeiro computador. Adorava mexer nas máquinas, alterá-las, arranjá-las e com 12 anos já a família toda me pedia ajuda quando tinham dúvidas. Mais tarde, antes de entrar para a faculdade, trabalhei durante algum tempo numa loja de computadores. A escolha do curso acabou por ser natural.

P: De que forma a tecnologia pode melhorar a vida das pessoas?
R: A tecnologia, hoje em dia, está presente em praticamente todas as áreas. Na saúde, por exemplo, onde já conseguimos facilmente consultar os nossos processos médicos, marcar exames, e até ter consultas online, através de uma simples aplicação no telemóvel. Mas, num outro sentido, também conseguimos fazer compras sem sair de casa; se formos em viagem, conseguimos consultar o mapa do melhor caminho; podemos consultar as informações sobre o nosso dinheiro sem ter de ir ao banco; e outros milhares de ações que fazemos diariamente e já nem nos apercebemos.

P: Quais são os perigos da tecnologia?
R: Há pessoas mal-intencionadas que tentam usar a tecnologia para prejudicar as outras. As crianças, a partir do momento em que os pais as deixam utilizar redes sociais, devem ter muito cuidado com o que partilham e nunca falar com desconhecidos. Também é preciso ter muito cuidado com os emails que recebemos. Às vezes parecem normais, mas na realidade estão a tentar enganar-nos. É fundamental instalarmos alguns programas que nos ajudem a proteger os nossos equipamentos e, principalmente, ter muito cuidado com o desconhecido.