CEIC NOTÍCIAS

Jornal do Colégio Externato Imaculada Conceição

 

coming soon

Voltar

Jorge Jesus

Não, não tivemos acesso a um exclusivo com aquele treinador de futebol grisalho que já esteve num outro país e  que usa uma espécie de língua estrangeira própria … Apenas ficamos a conhecer um pouco melhor o pai do nosso colega, o Kiko (5.ºA), que tem dividido a sua vida entre Portugal e Inglaterra. Como se sentirá nessa situação o nosso entrevistado?

P: Há quanto tempo vive em Inglaterra? Gosta de aí viver? Por que razão?
R: Eu vivo em Inglaterra há 14 anos. Gosto de viver em Inglaterra, porque há muito trabalho e ganha-se melhor.

P: Como é possível ficar tanto tempo longe da família? Como lida com essa situação?
R: Primeiro, porque é uma decisão coletiva e depois porque se acredita que estamos a fazer o melhor pela família. Lido com a situação estando focado no trabalho.

P: Nunca ficou cansado de viajar de Portugal para Inglaterra e de Inglaterra para Portugal?
R: Jamais, porque sempre adorei viajar de avião.

P: Do que/de quem sente mais falta em Portugal?
R: Sinto mais falta da família e da boa cozinha à portuguesa.

Pietra (aluna do Colégio)

A Pietra (e a sua irmã, Júlia) nasceram no Brasil, no lado de lá do Atlântico, mas vieram para Portugal e, hoje, estudam no CEIC. Porque é impossível não perceber que são naturais de outro país, o sotaque não engana, decidimos perguntar à Pietra como se sente em Portugal e que diferenças encontra entre os dois lugares… Nota dez!

P: Como te sentiste quando chegaste a Portugal vinda de um outro país, o Brasil?
R: Quando cheguei, não entendi nada do que os portugueses falavam, mas achei diferente e divertido. Houve apenas um aspeto mais negativo, porque na primeira escola onde estudei não fui bem recebida…

P: Mas, no CEIC, a experiência tem sido diferente. Como te sentes aqui? Por que razões?
R: O colégio faz-me sentir muito bem. Fico muito feliz, e confortável, ao aqui estar. Todos me tratam muito bem! E adoro estudar neste ambiente simpático.

P: Agora sobre outros assuntos, preferes música portuguesa ou música brasileira?
R: Prefiro a música brasileira, pois é mais animada e traz uma boa energia.

P: E sobre Portugal, o que mais gostas e o que menos gostas?
R: O que mais gosto é da paz e da simplicidade e o que menos gosto é que os portugueses são muito desanimados.

Maria José Barroso (professora de inglês)

A Miss Barroso ensina Inglês aos alunos do 2.º Ciclo, no Colégio. Nesta volta ao mundo através de um jornal, quisemos conhecer um pouco melhor uma professora que fala uma língua diferente da nossa!

P: Por que razão quis ser professora de Inglês?
R: Não sei responder em concreto a essa questão, pois não me lembro de querer ter outra profissão. Sempre quis ser professora de Inglês, desde muito pequena. Não posso dizer, por isso, que houve um motivo que me fizesse tomar esta decisão.

P: Se pudesse ensinar outra disciplina, qual escolheria? Porquê?
R: Neste momento, não leciono outra disciplina que não o Inglês. Ao longo do meu percurso profissional, e por querer sempre perceber melhor os meus alunos e potenciar as suas capacidades, senti necessidade de fazer uma especialização em Educação Especial. Assim, gostava de poder, um dia, experimentar trabalhar nesta área, que penso ser muito interessante e desafiadora.

P: O que mais gosta e o que menos gosta na cultura inglesa?
R: A parte da cultura inglesa de que mais gosto é a literatura e todas as tradições relacionadas com a monarquia britânica, algumas muito antigas que se mantêm até hoje. Os aspetos que acho menos positivos são o facto de as pessoas serem bastante formais.

P: Qual a sua cidade inglesa favorita? Já teve oportunidade de visitá-la? Como se sentiu?
R: A minha cidade Inglesa favorita é Londres. Já tive a oportunidade de lá ir e senti-me muito feliz. No entanto, como foi uma viagem de poucos dias, o tempo passou a voar e não pude visitar tudo o que queria.

Joana Costa (professora de Inglês)

A Teacher Joana faz parte da família do CEIC e ensina, desde o pré-escolar até aos colegas professores, língua inglesa. Sendo este um idioma falado um bocadinho por toda a parte, no Mundo, fez sentido colocar-lhe algumas perguntas. Desta vez, em português!

P: Inglês era a sua disciplina preferida na escola? E tinha bons resultados? O que mais gostava na disciplina?
R: Era uma das minhas preferidas, sim e tinha bons resultados. O que mais gostava era poder comunicar e compreender filmes e letras de músicas com mais facilidade como resultado do que aprendia nas aulas.

P: Por que razão quis ser professora de Inglês?
R: O inglês é simples e pode ser muito divertido – conseguir fazer com que os alunos percebam isso e assim poder ajudá-los a evoluir nesta língua tão importante é um desafio a que não resisti. Para além disso, levar os alunos à descoberta das suas vozes noutra língua é também muito interessante e recompensador.

P: Gostou da carreira de professora em Inglaterra? O que mais/O que menos apreciou?
R: Adorei. O que mais gostei foi poder trabalhar com tantas nacionalidades num ambiente tão diferente e o que menos gostei foi, claro, a comida.

P: Gostava de ensinar outra língua? Qual?
R: Gostava de ensinar alemão porque é muito lógico e não é tão assustador como muitos pensam.