CEIC NOTÍCIAS

Jornal do Colégio Externato Imaculada Conceição

Edição n.º 6

abril 2021

Voltar

Cidadãos do Mundo

Nesta edição de março do CEIC Notícias vamos ‘dar a volta ao Mundo’. Sem sair de casa, pois claro, que nós somos cumpridores do dever cívico de recolhimento.
Usando os habituais recursos para a redação das notícias, para a apresentação das estórias, para a realização das entrevistas, isto é, os livros, a internet, a imaginação, aqueles que connosco convivem no Colégio e em casa, damos a conhecer, agora, um bocadinho do nosso Mundo.
Não ficamos dentro de portas e colocamos a mochila às costas. E, assim, podemos contar aquilo que descobrimos aqui e além, o que mais nos inquietou, o que mais nos surpreendeu. Do passado ao presente, dos locais à gastronomia, do curioso ao preocupante, do interessante ao divertido.
Apertem bem os cintos, coloquem a máscara, respirem fundo e juntem-se a nós nesta viagem!

Dia do Pai sem Fronteiras

No dia 19 de março, em Portugal, comemora-se o Dia do Pai. Também neste dia de São José, angolanos, moçambicanos ou cabo-verdianos, em África, dedicam o dia a todos os pais. Há abraços, presentes, desenhos e outros miminhos que os filhos fazem questão de dar aos seus
progenitores.
Mas será que é assim em todos os locais do Mundo? A resposta é: não!
Nos EUA, o Dia do Pai é assinalado no terceiro domingo de junho. Acredita-se que a comemoração começou neste país, em 1910, quando Sonora Louise Smart Dodd decidiu prestar uma homenagem ao seu pai, que perdeu a mulher, continuando sozinho a cuidar de todos os filhos. Aqui, e em países como a Argentina ou a Austrália, a tradição passa, agora, por juntar a família para uma troca de presentes.
Nesse mesmo dia, na Holanda, os filhos servem o pequeno-almoço aos seus pais, como um gesto de carinho e atenção.
Os alemães associam o Dia do Pai a uma data religiosa, ou seja, ao dia em que Jesus ressuscitou (40 dias após o domingo de Páscoa), juntando-se pais e filhos em piqueniques ou passeios de bicicleta.
Nos países nórdicos, a comemoração é no segundo domingo de novembro. E, neste caso, os filhos criam um jogo de caça ao tesouro, com pistas, para que os pais descubram os presentes escondidos.
Em Taiwan, na Ásia, o Dia do Pai acontece no dia oito do mês oito (8 de agosto), isto porque as palavras ‘oito’, ‘agosto’ e ‘pai’, na língua oficial do país, são muito parecidas.
No mesmo continente, mas no Nepal, é no dia 17 de agosto que os filhos se dirigem ao rio Bagmati, levando presentes, doces e frutas e fazendo uma homenagem também aos pais já falecidos.

CEIC NEWS – Confinamento

O que faz mais falta no Mundo?

O que faz mais falta no Mundo?

Papa Francisco no Iraque

 

Neste mês de março de 2021, durante três dias, o Papa Francisco visitou o Iraque, um país maioritariamente muçulmano da Ásia.
Um dos objetivos desta viagem foi estar próximo da comunidade cristã naquele país, constantemente perseguida pelo Estado Islâmico.
Esta ação do representante máximo da Igreja Católica, mesmo em tempo de pandemia, transformou-se num ato fundamental para promover o diálogo inter-religioso e o respeito entre todos aqueles que pensam de forma diferente.
Será sempre importante que as duas maiores religiões monoteístas no Mundo sejam capazes de viver em paz, contribuindo para a amizade e tolerância entre os povos e, em particular, entre os seres humanos.
E desta forma, talvez se tenha dado um passo para que diminuam as perseguições e os conflitos religiosos. Todos podemos viver em harmonia.

Portugal em 1.º

 

Os atletas portugueses Auriol Dongmo, Pedro Pichardo e Patrícia Mamona, neste ano de 2021, conseguiram conquistar três medalhas de ouro no Europeu de Atletismo de Pista Coberta.
Auriol Dongmo tornou-se campeã de lançamento do peso, com uma marca de 19,34 metros. Pedro Pichardo, no triplo salto, conseguiu um salto de 17,30 metros. E Patrícia Mamona, também no triplo salto, alcançou os 14,53 metros.
À partida, parecem estranhos os nomes de Auriol Dongmo e Pedro Pichardo, pois não são iguais aos mais comuns em Portugal. Na verdade, Auriol nasceu nos Camarões, mas naturalizou-se portuguesa e Pichardo fez o mesmo, tendo este nascido em Cuba. Já Patrícia Mamona é portuguesa, com ascendência angolana. Que bom é saber que há quem queira representar, em provas desportivas internacionais, as cores de Portugal e que o país recebe todos de braços abertos.
Com estas três fantásticas vitórias, Portugal ficou no segundo lugar do pódio das medalhas de ouro, só a seguir à Holanda.
Estamos no bom caminho para os Jogos Olímpicos de Tóquio!

A Mulher é importante…

 

Todos os anos, no dia 8 de março, celebramos o Dia Internacional da Mulher.
A sua origem não é certa, havendo várias opiniões, mas, desde 1975, a Organização das Nações Unidas (ONU) adotou-o como forma de recordar as lutas, e conquistas das mulheres, a nível social, político e económico. Isto, independentemente da sua nacionalidade, etnia, língua ou cultura.
A data é, hoje, assinalada em mais de 100 países do Mundo e ignorada em muitos outros.
Esta comemoração faz sentido, porque homens e mulheres devem ter os mesmos direitos.
O dia deve ser valorizado pelos homens, também, para não se esquecerem de refletir sobre a importância do género feminino. Tal como eles, as mulheres podem ser independentes, podem lutar pelos seus interesses, podem seguir os seus sonhos profissionais e podem aproveitar a vida como entenderem.
Por isso, as mulheres merecem ter um dia ‘só’ seu!

Alerta, alerta!!

A internet, nomeadamente pelas redes sociais, é um espaço privilegiado, hoje, para acedermos a informação em tempo real e para facilmente contactarmos com quem vive do outro lado do Mundo. Contudo, também tem o seu lado negativo. Por exemplo, vários profissionais de diferentes áreas, conhecidos do grande público, são alvo de ameaças por essa via.
Ellen Page foi já vítima de ameaças de morte no seu Twitter, alegadamente por razão de um relacionamento pessoal que se tornou público. Josh McDermitt, o Eugene em The Walking Dead, também recebeu esse tipo de ameaças, uma vez que os espectadores não foram capazes de distinguir a sua personagem, um vilão, da pessoa que a representa, o homem real e que é ator.
Em Portugal, recentemente o árbitro Luís Godinho vivenciou uma situação similar, após apitar um jogo das meias-finais da Taça de Portugal. O resultado não foi do agrado de todos os adeptos, resultou na situação relatada e obrigou as autoridades a monitorizar a casa do árbitro português.
Nesta época de pandemia, e de uso regular da internet, dos jogos online, das redes sociais e de outras mais aplicações, é preciso ter cuidado. Conversar com desconhecidos, partilhar informação pessoal, responder a pedidos estranhos são comportamentos a evitar. Ser pouco simpático sobre alguém ou apoiar ações ofensivas e/ou violentas também não pode ser a nossa prática.

A pobreza: um problema mundial?

Um dos três países mais pobres do mundo é o Burundi, situado em África. Como é um grande exportador de banana e café, tem mais de 90% da sua população a trabalhar na agricultura de subsistência e apresenta um setor industrial pouco desenvolvido. Além disso, há ali poucos recursos naturais. Para piorar a situação, o Burundi sofre, indiretamente, as consequências dos conflitos étnicos nos países vizinhos, como o Uganda e o Ruanda.
Outro país também muito pobre, no mesmo continente, é a República Centro-Africana. Apesar de ser rico em recursos naturais e minerais, como ouro, diamantes, petróleo e urânio, e de ter capacidade para a produção de energia hidroelétrica, o país está em constante guerra civil, o que prejudica a sua situação económica e social. A maioria da população vive, diariamente, dificuldades e a fome ou a doença são problemas comuns.
Pode acrescentar-se à lista a República Democrática do Congo, mais uma vez em África. O terceiro país mais pobre do mundo é também o segundo mais rico em biodiversidade, atrás do Brasil, não sendo capaz de aproveitar esta característica a favor da sua população. A principal atividade económica é a exploração mineira, que não responde às necessidades dos habitantes locais. Na verdade, também aqui falta o alimento, a assistência educativa e de saúde com qualidade, o trabalho para todos quantos precisam.
Percebe-se, pelas linhas acima, que a pobreza é um problema particularmente concentrado no continente africano. Nós, que vivemos em outros lugares do mundo, não podemos ficar indiferentes a esta circunstância. Campanhas de solidariedade, a partir de países com mais condições económicas, só podem repetir-se muitas e muitas vezes…