CEIC NOTÍCIAS

Jornal do Colégio Externato Imaculada Conceição

 

coming soon

Voltar

Editorial

Este mês de janeiro de 2022 foi mais atribulado do que o esperado.
As aulas iniciaram uma semana depois do inicialmente previsto e a sala de aula, às vezes, viu-se com menos alunos. A culpa é, já se sabe, da pandemia.
Ainda assim, não desistimos e demos forma a esta edição de janeiro/fevereiro sobre os animais – os mais rápidos, os mais estranhos, os domésticos e os selvagens, os dos filmes, …
Apesar de ser um tema já muito debatido, de certeza que vão ficar a saber umas informações novas. E nem desconfiavam de tal!
O mundo natural tem destas coisas… surpreende-nos tantas vezes. Boas leituras!

Tiger, Tiger, Burning Bright!

…ao Rei Leão (sim, o do filme)

Não sabíamos bem quem entrevistar, mas sendo Simba uma figura tão conhecida dos filmes para crianças, por que não dirigir-lhe algumas questões?

P: Como se sente ao ser uma estrela de cinema?
R: Não exagerem. Sou apenas um leão com uma história de vida interessante e que alguém quis contar. Talvez a minha história sirva de exemplo para alguém.

P: Sabe que toda a gente chorou consigo, quando o seu pai, Mufasa, morreu?
R: Acredito que sim, foi um momento dramático e muito emocionante. Ninguém assim tão novo, nem mesmo um animal, devia perder o pai.

P: O Timon e o Pumba são assim tão divertidos como parecem?
R: São, são muito divertidos. O tempo, quando estás com eles, não passa de tão animado que é. Como eles dizem “Hakuna Matata, os seus problemas são para esquecer”, porque depois temos tempo para pensar no que é mais complicado.

…professora Carla Salgado

A professora Carla juntou-se a nós este ano letivo, nas aulas de CN/Mat. Temos aprendido bastante com ela e como também é professora de Ciências Naturais, decidimos colocar-lhe algumas perguntas sobre os animais e a natureza. Ora leiam as suas opiniões…

P: O que pensa sobre a extinção de muitas espécies de animais?
R: Eu penso que o tema da extinção das espécies deve preocupar-nos a todos e, como tal, deve ser alvo de reflexão. Não podemos esquecer que nós próprios somos uma espécie e que devido às nossas próprias ações também podemos ficar em risco.

P: O aquecimento global pode afetar os animais? Quais? De que forma?
R: Sim, o aquecimento global é um problema que afeta muitos animais. Nos pólos, podemos compreender mais facilmente o que acontece porque, devido ao degelo, os ursos polares podem perder o seu habitat e por isso extinguirem-se.

P: Na sua opinião, o que é possível fazer para evitar degradação dos habitats dos animais?
R: Para evitar a extinção das espécies podemos tomar algumas medidas muito simples: ajudar espécies ameaçadas quando viajas, visitando reservas naturais, contribuindo assim para a conservação das espécies; não comprar lembranças em marfim ou carapaça de tartaruga, pois podem ser oriundas do mercado negro; evitar a utilização de plástico; plantar no teu jardim espécies nativas atraindo polinizadores.

…um peixe voador

Nada como dar espaço à imaginação e criar uma conversa com um animal que existe, mas que parece não existir. Afinal, habituámo-nos a ver os peixes na água e não a voar como as aves…

P: Quantos metros consegue voar?
R: Consigo voar cerca de 50 metros, o que não é nada mau para um peixe!

P: E consegue fazer mais alguma habilidade?
R: Consigo saltar até 1,20 metros. Quase me torno um atleta olímpico, sem querer!

P: Quais são os seus predadores naturais? Ou seja, de quem de fugir ‘a voar’?
R: Alguns dos mais comuns são o atum e o peixe-espada. Eu penso que é apenas por inveja tendo em conta as minhas capacidades extraordinárias.

P: Em que oceano vive a sua espécie?
R: Vivemos nas águas quentes das regiões tropicais e subtropicais de todos os oceanos, mas temos maior diversidade no Pacífico e no Índico.

Fungagá da Bicharada

Em Portugal, em 1976, a RTP transmitiu um programa infantil que, em cada sábado, se dedicava a um animal em específico, estando o mesmo presente me estúdio.
O programa era apresentado por Júlio Isidro e o genérico, a famosa música ‘Fungagá da Bicharada’ teve autoria de José Barata-Moura.

Sabiam que…

O primeiro animal do mundo a ser domesticado por um ser humano foi o lobo?
Hoje em dia não é muito aconselhável ter um lobo em casa! Dizemos nós…

Tigre-de-bengala

Como é que o tigre-de-bengala mantém as garras afiadas?
Uma das estratégias é deixá-las expostas apenas quando precisa delas e não para caminhar.

O rugido do tigre-de-bengala é muito alto?
É possível ouvi-lo até 3 Km de distância.

Miau faz o gato!

O primeiro gato a ser domesticado foi há mais de 9500 anos.
Os gatos são, atualmente, os animais de estimação mais populares em todo o mundo. Apesar de os gatos serem domesticados, partilham todas as características dos felinos selvagens sendo seus parentes. Se pensarmos bem, percebemos que são fortes, ágeis, dotados de grandes reflexos, sentidos apurados e instinto de caça.
Depois, também são brincalhões, muito independentes, curiosos e conseguem ser teimosos, mas extremamente amigáveis e afetivos. Um dos gestos mais carinhosos dos gatos é a famosa ‘turrinha’, que dão entre si e aos seus donos. Outro sinal de afeição é o ronronar.
Tomem nota de algumas curiosidades sobre os gatos: o mais gordo do mundo pesa 21kg; este animal tem 230 ossos no seu corpo e em adulto tem 30 dentes; existem mais de 500 milhões de gatos domésticos no mundo e cerca de 40 raças reconhecidas.

Bicho-pau… que bicho é este?

O bicho-pau é um inseto muito diferente dos que estamos habituados a ver. Parece-se com ramos, folhas ou cascas de árvore, por isso passa despercebido entre as plantas. Na sua maioria são de estrutura comprida e fina.
O bicho-pau alimenta-se de plantas, mas nem todas as espécies gostam das mesmas plantas. O importante, no geral, é que estejam frescas e limpas. Além disso, é um animal que gosta de espaço. Quando há muitos a viver num território pequeno, começam a roer as patas uns dos outros!
Os bichos-pau mudam de pele e alguns sabem voar.