CEIC NOTÍCIAS

Jornal do Colégio Externato Imaculada Conceição

Edição n.º 5

abril 2022

Voltar

Vamos continuar a poluir?!

Era uma vez uma menina que estava sempre a poluir. Nem se dava ao trabalho de deitar o lixo nos contentores. Os pais diziam-se que não podia atirar lixo para o chão, mas ela não queria saber.
Um dia, a menina deitou uma pequena borracha ao mar, porque já não a queria. Uns dias depois, quando estava a almoçar, para seu grande espanto, encontrou a borracha dentro do peixe que ia comer.
A rapariga ficou a pensar no assunto e, a partir desse dia, passou a ser muito mais cuidadosa e amiga do ambiente. Percebeu que se deitasse lixo na terra ou na água, o mesmo podia servir de alimento para um qualquer animal que depois pode ser alimento de um ser humano.
Desde então, separa o lixo e coloca-o nos contentores corretos: o plástico no amarelo, o vidro no verde e o papel no azul.

Stop ao efeito de estufa

O efeito de estufa é um processo físico provocado por alguns gases presentes na atmosfera, como o dióxido de carbono, o metano ou o óxido de nitroso, que absorvem a radiação sob a forma de calor e impedem que a mesma seja libertada para o espaço.
Esta situação contribui para o aquecimento global, apesar de o efeito de estufa controlado ser essencial para manter o planeta aquecido e assegurar a vida na Terra.
No entanto, o efeito de estufa tem alcançado níveis muito prejudiciais devido ao uso descontrolado de combustíveis fósseis, à utilização de certos fertilizantes ou ao elevado desperdício alimentar.
De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), é necessário reduzir 70% das emissões de gases com efeito de estufa até 2050 e 100% até ao ano de 2100. Caso contrário, as consequências serão desastrosas para a sobrevivência dos diferentes seres vivos existentes.

…e outros animais

O urso polar vive nas regiões geladas do Pólo Norte, junto do oceano Glacial Ártico, mas é um animal que está em vias de extinção. O pêlo branco ajuda-o a camuflar-se para caçar focas e tem muita gordura para se proteger do frio. É muito ágil a nadar. As fêmeas escavam buracos para esconder as crias depois do nascimento e, aí, cuidam delas durante vários meses, às vezes sem comerem nada.

 

O lince ibérico é uma espécie em perigo de extinção. Também por isso, as suas tocas são locais escondidos e bem protegidos. A sua época de acasalamento é nos meses de janeiro e de fevereiro. Em relação à alimentação, o lince macho necessita de um coelho por dia e uma fêmea grávida precisa de comer três coelhos por dia. Por norma, os linces vivem cerca de treze anos.
Em 2021, em Portugal e Espanha estão contabilizados 1111 linces ibéricos.

Era uma vez uma raposa…

 

A raposa vive em florestas de grande altitude e até em cidades ou aldeias.
Este animal selvagem come tudo, mas a sua comida preferida são os coelhos e as galinhas.
Além disso, é um animal noturno, aproveitando sobretudo a noite para passear e procurar alimento, e vive em tocas escavadas por elas mesmas.
Na Primavera, a raposa tem os seus filhotes. Durante 4 semanas dá-lhes de mamar, enquanto o pai vai à procura de comida para a fêmea e as crias recém-nascidas.
É muito habitual a raposa, pela sua astúcia e ação, ser incluída em fábulas ou outras histórias para crianças e adultos.

Pesca e mais pesca

Às vezes, os seres humanos apresentam hábitos que prejudicam o meio ambiente.
Por exemplo, a pesca excessiva acontece quando a quantidade de peixe retirada do mar é maior do que a quantidade de peixes daquela espécie que nascem. Isso provoca a extinção de certas espécies ou a necessidade de impor quotas de pesca.
A partir do litoral português, várias espécies de peixe pequeno, por isso que ainda não se reproduziu, são recolhidas do mar e comercializadas, como o carapau ou o verdinho.
Na verdade, os recursos marinhos do planeta Terra correm o risco de sofrerem um colapso global e irreversível, também devido à pesca excessiva e, muitas vezes, pouco controlada.
Ainda assim, é possível proteger a biodiversidade animal nos ambientes marinhos se forem tomadas medidas específicas, como recuperar os habitats naturais ou controlar a poluição.

Reciclagem, já!

Mundialmente, são produzidas toneladas de lixo com grande impacto no meio ambiente e na saúde humana. Por isso, é necessário recolher e tratar esse lixo.
A reciclagem é, assim, uma opção. Através dela é possível reaproveitar os materiais que acabariam por ir para o lixo e para aterros sanitários, transformando-os em novos produtos. e diminuindo os riscos para o ambiente e a saúde.
Além disso, reciclar ajuda na conservação de recursos naturais, como a madeira ou a água, reduzindo a necessidade de extração de novas matérias-primas; e quanto mais reciclarmos, mais diminuímos a emissão de gases que provocam as alterações climáticas.
Fazer a separação do lixo é, então, uma obrigação de todos os cidadãos que são responsáveis e preocupados com o planeta. Atualmente, temos à nossa disposição três ecopontos para a recolha de resíduos sólidos urbanos (verde, azul, amarelo) e um contentor indiferenciado (cinzento).
Não custa nada, por isso recicle onde estiver!