Ainda neste ano de 2021, em Foz Côa, foi encontrado pelos arqueólogos portugueses um painel com gravuras rupestres de animais. No vale do Ocreza, detetaram-se estas relíquias históricas que pertencerão ao Paleolítico, tendo entre 10 mil e 20 mil anos.
De facto, a pintura pré-histórica acontecia sob a forma de desenhos ou gravuras nas rochas ao ar livre ou em grutas. As imagens, por norma, representavam animais selvagens, cenas de caça ou movimentos de dança.
Utilizando sangue ou pigmentos de animais, os seres humanos do paleolítico usavam esta forma de arte, crê-se, para conseguirem sorte nas suas caçadas e para registarem os animais que pertenciam ao seu grupo.
A sua técnica era já tão apurada que atualmente se descobrem pinturas e gravuras rupestres um pouco por toda a parte. Em Portugal, na zona de Foz Côa, há muitos vestígios desta época histórica.